Nosso respeito é por direito!

domingo, abril 02, 2017



Uma mulher passa por dezenas de violências ao longo de toda sua vida. Algumas vem tão incubadas, que mal são percebidas, outras são escancaradas, mas mesmo assim disfarçadas. 

Desde que comecei as pesquisas para meu TCC, li muito à respeito de violência contra a mulher. Vi relatos extremamente dolorosos, que me fazia chorar só de cogitar a imensa dor (física e psicológica) que aquela mulher sentiu. Ficava indignada, com uma raiva que chegava a doer no coração, do tamanho da impunidade dos agressores. Praticamente em todos os casos que tive contato, os ex maridos/namorados/ficantes continuavam suas vidas normalmente, ou eram obrigados a pagar por algumas cestas básicas, enquanto as mulheres agredidas tinham feridas que o tempo jamais curaria. 

Alguns casos, ás vezes ganham a grande mídia e as redes sociais, geralmente quando envolve um homem que seja famoso de alguma forma. Você já experimentou ler os comentários dessas notícias? Sempre haverá pessoas fazendo questão de colocar em dúvida o que a mulher, vítima, falou. "Ela só pode ser louca, jamais que um cantor/ator/apresentador desse porte faria algo assim, ela só quer ganhar uns 15 minutos de fama para posar nua numa revista qualquer depois, certeza que ano que vem ela estará em algum reality show."

Está tão enraizada essa cultura de que a mulher é a vagabunda da história, aquela que mereceu apanhar, foi assediada porque estava com roupas provocantes, não denunciou o chefe porque estava gostando, que quando uma decide quebrar o silêncio e apontar com todos os dedos o culpado de constrangê-la, independente do seu cargo ou importância, sua sanidade e credibilidade é colocada em questão. 

Por que a vítima é a culpada pelo que sofreu? Por que o acusado é colocado como bom moço?

Não pense "poderia ser sua irmã/mãe/avó", pense "ela é uma mulher, foi violentada e precisa de ajuda".

Por dia, milhares de mulheres sofrem com vários tipos de violência, poucas tem coragem de denunciar, quase nenhuma recebe o apoio da justiça, raramente um homem cumpre pena pelo crime que cometeu contra uma mulher. Isso não pode continuar sendo considerado normal!

Se você já passou por alguma situação que se sentiu desconfortável, ou foi agredida de alguma forma, não tenha medo do que os outros vão pensar, busque pelos seus direitos e denuncie em todos os lugares que puder. Vão te rotular como louca, que só quer chamar a atenção, mas você não está sozinha. 

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe