Cara pessoa branca, assista!

domingo, abril 30, 2017

Resultado de imagem para dear white people netflix

Dear white people, 
Você acha um absurdo apontarem racismo em pleno século XXI? Pois ele existe e a hipocrisia que o faz ser empurrado para debaixo do tapete, também. 

Lembrando que: Racismo não é meu lugar de fala, nunca sofri e nunca sofrerei com isso, pois sou branca. Mas não me impede de ser absolutamente contra qualquer tipo de discriminação e humilhação por cor de pele. 


Resolvi assistir a nova série original da Netflix "Dear White People", lançada no último dia 28. São 10 episódios que vi em sequência, sem parar nem para comer. A história se passa em uma faculdade tradicional dos Estados Unidos, com fraternidades e projetos criados pelos alunos. Mas existe segregação e racismos velados, que são trazidos para discussão graças à Samantha White, uma das maiores ativistas dentro da fraternidade e criadora do programa de rádio que leva o nome da série. 

NETFLIX netflix dear white people GIF

Apesar do toque de comédia e ironia, os assuntos abordados são recorrentes na maior parte do mundo. Alunos fazendo black face (quando uma pessoa branca se 'pinta' de negra), o racismo velado e escondido por alunos brancos, aquela famosa história de que os negros estão fazendo drama ou estão sendo violentos demais. Também são mostrados temas como sexualidade, corrupção e injustiças.   

Não é só mais uma série clichê sobre adolescentes em fase universitária, é exposto -mesmo com toques de comédia e sarcasmo- as batalhas diárias vividas por jovens negros, no caso, americanos, mas que pode se dissipar para qualquer outra cultura, principalmente a brasileira. Nosso país tem um dos maiores índices de morte de negros (em sua grande maioria, jovens), as maiores desigualdades salariais de mulheres negras no mercado de trabalho e um dos menores números de jovens negros em universidades. Consegue perceber como a desigualdade e o racismo andam juntos?

Indico essa série para que, mesmo que mínima, você também possa ter uma percepção dessa realidade desigual que vivemos. Assista com o mínimo de juízo de valor possível, absorva as falas de Samantha White. Ah, existe também o filme, de 2014, que originou a série,

Não seja mais uma dear white people por aí.


Você também pode gostar de:

2 comentários

  1. Parabéns pela resenha, Amanda!!!! Estava lendo sua matéria sobre o Fotografando à mesa e acabei chegando a esse post ,super bem elabora ,crítico e respeitoso.

    abraços

    Jota

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo feedback, Jota. Fico feliz que tenha gostado <3

      beijos

      Excluir

Subscribe