A beleza está dentro de você - #BodyPositive

terça-feira, janeiro 17, 2017

Conheci a Gabriela numa festa há algum tempo, conversamos sobre a vida toda, chegamos à coincidência de que ambas têm blog e gostam de moda. Eu fiquei absolutamente encantada com toda a atitude e estilo que ela tem e não falo somente das roupas (que são maravilhosas), seu jeito de ver a vida também. 


Nos adicionamos nas redes sociais e eu fui me inspirando cada vez mais no seu empoderamento, como ela demonstra através de uma simples fotografia o quanto se ama e manda o foda-se para o que os outros pensam, se a roupa tá curta, se aparece demais ou de menos, ela faz o que e quando quer. Quando comecei esse projeto, a convidei para compartilhar como foi a experiência de passar pelo processo de empoderamento e chegar onde ela está hoje: Num nível de amor próprio que nenhum olhar torto na rua, nenhum comentário infeliz, absolutamente ninguém consegue tirar dela.

"Falar disso nesse momento veio muito a calhar, levando em conta que já há uns dias atrás eu estava pensando em todo esse processo pelo qual eu passei.

Na minha infância eu era considerada uma criança muito bonita para os padrões. Que consistiam em loira dos olhos claros e cabelo liso. Mas quando fui para o ensino fundamental a coisa não era bem assim. 

Eu fui criança por muito tempo, brinquei de boneca até os 12 anos, depois fui pra costura, crochê, dança, enfim, meninos não passavam pela minha cabeça, logo eu não tinha uma obrigação em me preocupar com o que eu era por fora. Mas aos poucos eu fui reparando alguns detalhes entre eu e as minhas amigas. Por eu ser adiantada nos estudos eu também era a mais nova entre todas, então eu comecei a pensar que era só uma questão de tempo pro meu corpo se desenvolver como o delas. Maaas, isso não aconteceu, não no período do colégio pelo menos. Eu não tinha seios, não tinha bunda, meus cabelos estavam SEMPRE presos em um coque ou rabo de cavalo e até pra andar eu era desengonçada. Me apaixonei por vaaaarios garotos que sempre preferiam as minhas amigas do que eu por motivos óbvios, aparentemente.

Minha mãe sempre teve uma auto estima INCRÍVEL, mas ela me via como uma criança que é o que eu era de fato, então ela não me incentivava a ser como as outras ou me vestir como elas. O que hoje eu acho maravilhoso, porque mantive por mais tempo a minha essência.



Quando eu comecei a comprar roupas diferentesde moletom, por exemplo (kkkkk), e soltar o cabelo (que eu passava horas fazendo chapinha porque cabelo solto tinha que ser liso), comecei a passar batom clarinho, aconteceu algo bem chato. Eu comecei a ser assediada tanto dentro de casa como na rua. E com 15 anos eu entendi que ou eu voltava a me esconder ou eu seguia aprendendo a lidar com aquilo. Bom, olhando pra mim hoje dá pra perceber que eu escolhi a segunda opção, né? hahaha. 

A maioria dos meus amigos de hoje são os mesmos de 15 anos atrás. Alguns deles sempre que tem a oportunidade lembram de como eu mudei e como hoje sou a mais bonita de todas daquela época, como sou bem resolvida comigo mesma e não me importo com a opinião dos outros,  bla bla bla. Eu adoro ser elogiada, ainda mais por pessoas que presenciaram essa mudança, mas infelizmente tem uma coisa que não muda: o poder de crítica que as pessoas ACHAM que tem sobre as outras, quando na verdade não tem. Ainda hoje vire e mexe passa alguém na rua e uma amiga faz algum comentário sobre o cabelo da pessoa ou tem a minha mãe que insiste em julgar as roupas dos outros. E eu sou a chata que toda hora lembra que eles não tem que achar nada sobre a escolha que os outros corpos fazem.

Eu aprendi a me impor pra quando eu sair na rua o meu cabelo, as minhas roupas estranhas ou transparentes, a minha postura não serem criticadas e se forem, eu saber responder à altura. Aprendi isso sozinha, analisando todos os apelidos, risadinhas, alfinetadas que eu levava. Ninguém pegou na minha mão e me disse que eu era incrível e que eu achar isso já bastava.



Eu poderia ter me tornado uma garota muito prepotente, metida, e a louca dos likes. Mas preferi ser mais que isso, na vida real enaltecendo todas as belezas e na internet com o meu blog, onde eu mostro formas de pensar totalmente fora da caixinha. Eu me sinto maravilhosa todos os dias, não o tempo todo claro, mas a sabedoria pra mim ainda é a coisa mais relevante. 

A beleza está dentro de você, depois nos olhos de quem vê."

O blog da Gabi é o All Street Fashion, onde fala sobre moda e comportamento. Ah e o Instagram dela tem fotos maravilhosas e inspiradoras!

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe