Não é frescura

domingo, setembro 18, 2016



No início do mês de setembro, começou a campanha do Setembro Amarelo, que tem o objetivo de divulgar os problemas psicológicos e mostrar que isso não é besteira e merece a devida atenção de todos, porque caso você não tenha nenhum, com certeza conhece alguém que passa por desafios diários para lidar com a própria mente e viver.

Eu demorei muitos anos para dar importância à mim mesma. Desde criança tenho picos de tristeza profunda, baixíssima autoestima e pensamentos que me fazem surtar e querer me isolar de tudo e todos. Para quem vê isso de fora, pode até confundir com uma fase, coisa normal, afinal todos temos dias bons e ruins, não é mesmo? Mas é muito mais que isso. São dias, semanas e até meses sem vontade de levantar da cama, olhar no espelho e ver o reflexo se transforma em uma tarefa difícil, passei a me enxergar como uma pessoa inferior às outras, feia e gorda demais (foi o que mais ouvi das pessoas, que eu era/sou gorda demais para usar alguma determinada peça de roupa e que deveria parar de comer). 

Não é simplesmente comer chocolate ou desabafar com alguém que está tudo resolvido. A vontade de viver some, a única que passa na cabeça constantemente é: Por que ainda estou viva? O que estou fazendo aqui?

Quem tem ansiedade e/ou depressão, não vai se sentir à vontade de contar isso para ninguém, vai querer se esconder cada dia mais, segurar tudo sozinha enquanto der, até explodir. E eu já explodi algumas vezes. Não necessariamente pensei em acabar com a minha vida, mesmo que a remota possibilidade já tenha a passado pela minha cabeça, mas já tive crises de chorar todos os dias com medo e desespero, sem saber o que fazer, já me isolei, pensei em quais seriam as formas de morrer menos dolorosas. 

Não é fácil dizer isso, mas hoje em dia consigo enxergar que não é só um dia ruim que todos têm, não é uma fase. Conseguir me abrir para as pessoas mais próximas, ir atrás de ajuda médica, saber identificar quando vem as crises e aprender a lidar com isso da melhor maneira possível sem que afete minha vida social e profissional. 

Quando alguém disser que está mal, não fale que é frescura, ajude no que puder, isso pode evitar consequências piores. Aproveite o Setembro Amarelo e comece a prestar mais atenção às pessoas em sua volta. 

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe