Acabamos

quarta-feira, maio 04, 2016


Ficamos juntos durante muitos anos e eu estava completamente apaixonada, poderia dizer até que amei mais você do que a mim mesma e não estaria exagerando nem um pouco. Toda minha vida seguia a sua, meus compromissos eram de acordo com os seus e meus amigos eram os seus amigos.

Durante o nosso tempo juntos, não tive um momento só meu. Quando eu pensava em ficar sozinha, sair e espairecer, você arrumava uma maneira de fazer-me sentir mal e culpada por te deixar sozinho ou sem notícias minhas. E eu sempre cedia e concordava, porque achava que amar era isso, abrir mão da minha vida por você, viver para e não com você. 

Eu amava passar os finais de semana juntos, viajar e conhecer lugares novos. Dividir nossos sonhos e planejar o futuro, mas você exigia demais de mim, era quase exaustivo o quanto você me sufocava, mas ao mesmo tempo nunca soube demonstrar carinho por mim. Em todo esse tempo, nunca entendeu a diferença entre carinho e possessão. Nunca compreendeu que havia momentos que eu só queria um abraço e uma palavra de apoio, mas você optava por ser estúpido, grosso e desdenhava dos meus problemas, como se fossem insignificantes e dramas de mulherzinha.

Tudo que eu conhecia sobre relacionamento era o que você me ensinou, mesmo sendo ruim, era a maneira certa de se viver e fui me acostumando a isso. Mas meu amor foi se definhando e se transformando em agonia e pena. Eu passei a sentir pena de você e da sua forma de ver o mundo, sempre tão mesquinho e egoísta, nem se quer cogitava a hipótese de me surpreender sem motivo, só para me fazer feliz. Se fossemos comparar o quanto eu fiz por você, renderia um livro. 

Eu jamais desejarei seu mal, pelo contrário, quero que encontre sua felicidade, mas primeiro quero que se encontre. Tudo entre nós começou a desandar porque você não sabia quem era e não havia como eu descobrir isso no seu lugar. Agradeço pelos momentos bons e felizes que me proporcionou, darei valor a cada um deles para sempre, mas preciso viver um pouco por mim mesma. Talvez, lá na frente, nós nos reencontraremos com maneiras diferentes de enxergar o mundo, talvez a nossa história recomece ou não. O que importa é que buscaremos nossa felicidade. 

Eu ainda gosto de você, mas não te amo mais.

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe