A falta que acostumei a sentir

quinta-feira, janeiro 28, 2016



Já parei para pensar o que pode ser pior: A pessoa que já fez parte da sua vida sumir e mudar completamente ou a pessoa que continua fazendo parte da sua vida, mas de forma completamente superficial, sem dar a mínima para a reciprocidade que uma amizade pede. Bem, cheguei à conclusão que os dois tipos são péssimos de se aguentar e conviver, mas aquela pessoa que mantém a amizade com uma certa preguiça de se importar é ainda pior.

Nunca me importei em estar disponível para ajudar quem precisasse e muitas vezes deixei de cumprir compromissos para ajudar quem eu considerava amigo, mas já me senti completamente sozinha e desamparada por estas mesmas pessoas. Mas afinal, amizade não é quando sabemos que podemos contar com o outro à qualquer hora em qualquer lugar? Não é aquela pessoa que sabemos que pode nos dar o ombro pra chorar nos dias difíceis? 

Então por que continuar com contato com quem não faz jus à isso?

Falo por mim quando digo que, além de uma dor no coração de ver alguém com quem já compartilhei momentos bons e ruins ir se distanciando, existe também o fato de não querer admitir nada disso a si mesma. Quem quer chegar ao ponto de mandar uma mensagem ou até mesmo ligar para o pseudo amigo e dizer que está cansado de se doar a alguém que não dá o devido valor? E quando falo 'valor', não quero dizer reconhecimento por cada boa ação feita, quero dizer um apoio, um abraço ou até mesmo uma frase clichê de autoajuda, algo que conte como um "pode ficar tranquilo, continuo aqui por você".

Para mim mesma, comparo a dor de perder uma amizade quase como a dor de bater o dedinho na quina de um móvel qualquer do quarto. É quase insuportável no início, mas depois vamos nos acostumando e, quando o tempo passa, nem lembramos mais onde batemos, mesmo com a dor indo e voltando. Eu sinto falta de tanta gente, sinto falta de sentar pra conversar durante horas sobre tudo e sobre nada, ir para lugares completamente aleatórios, só pela companhia, mas hoje estou acostumada com a  falta que fazem na minha vida. 

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe