Onde está você agora?

segunda-feira, fevereiro 16, 2015



Era madrugada de sábado e faziam 20 dias que não o via. Tentava disfarçar a saudade e a tristeza todos os dias que saia de casa para cumprir meus compromissos, encontrava pessoas do meu convívio e dizia a elas que estava tudo bem, as coisas estavam se encaminhando como deveria ser. Era tudo mentira. Como poderia estar tudo bem quando a pessoa que mais importava pra mim simplesmente havia se distanciado sem nenhum motivo aparente e sem nenhuma explicação sequer?

Estava exausta física e psicologicamente. Meu orgulho não deixava digitar nem ao menos uma mensagem de texto perguntando o que aconteceu, o que eu poderia ter feito de errado para deixá-lo chateado ou bravo e se poderia fazer algo para me redimir. Eu e meu orgulho ficávamos juntos ouvindo Sozinho de Caetano Veloso, chorando até soluçar sempre que chegava aos versos: "Por que você me deixa tão solto?/ Por que você não cola em mim?/ Tô me sentindo muito sozinho".

Ainda não sabia lidar com a sua personalidade tão confusa. Eu já era problemática o suficiente, ai surgiu você na minha vida, uma das pessoas mais indecisas e emocionalmente confusas que eu já tive a oportunidade de conhecer. Havia dias que você me mandava mensagens carinhosas, fazendo eu me sentir a mulher mais sortuda do mundo, em outros você sumia e cabia a mim esperar que toda essa turbulência passasse. Não sei se nestes dias pensava em mim, me parece que não. Não pensava nem um pouco em como ficava extremamente preocupada e carente de você.

Só queria que notasse os momentos em que eu estava mais frágil e precisava de sua companhia. Mas seu egocentrismo não o deixava enxergar isso. Minha vontade era cantar Caetano Veloso pra você repetidamente até compreender o quanto sua personalidade me afetava, mas em vez disso ficava calada, deitada no meu quarto escuro, com o volume no máximo para abafar o som do meu choro soluçado. 

Não se esqueça, eu tenho meus segredos e planos secretos só abro pra você, mais ninguém

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe