Amigos desconhecidos

sábado, setembro 20, 2014

Nunca soube lidar muito bem com mudanças de amizades porque sempre fui de me apegar fácil às pessoas do meu convívio. Quando era pequena, na escola, sempre que me identificava com alguém, já passava a maior parte do tempo junto com essa nova amiga, tratava de conhecer o máximo que conseguia e, claro, tentava ajudar quando podia (e até quando não podia também).

Com o tempo essas minhas amizades que eu jurava que seriam eternas, simplesmente desapareciam. Novas pessoas apareciam, a vida se encarregava de trazer mudanças inesperadas e de repente me via sozinha, com uma amizade unilateral.

Passei muito tempo achando que só teria uma vida "completa" se eu tivesse uma melhor amiga - ou amigo- para compartilhar meus momentos, tanto bons, quanto ruins.   Eu não sabia ser autossuficiente, havia sempre a necessidade de ter companhia. 

Depois de muitas decepções, comecei a me valorizar mais, não colocar toda a minha felicidade dependente de amigos e colegas, porque por mais que existam juras de cumplicidade eternas, elas sempre acabam, vão se definhando com o tempo até surgir uma pessoa nova pra recomeçar o ciclo. Acredito sim que manterei contato com algumas amizades do passado, mas tudo muda e chegará um momento que as conversas não passarão do "nossa, quanto tempo não nos falamos". Por mais que doa dizer que alguém ERA meu amigo, isso se tornará cada vez mais freqüente, tenho plena consciência disso. Mas conforme isso for acontecendo meu relacionamento com meu próprio reflexo será cada vez melhor. 

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe