Algum lugar

sexta-feira, agosto 08, 2014

Horizontes by Gloria on Grooveshark




Decidi ir embora, não adiantava mais segurar o peso do mundo nas costas, engolir e me sufocar com palavras que deveria dizer. Eu não tinha um destino certo, queria apenas caminhar até minhas pernas aguentarem, até chegar em algum lugar. Não deixei nenhum vestígio para trás, nenhum bilhete ou despedida. Sempre disse que um dia faria isso, que fosse sumir - pelo menos por algum tempo- pra ficar em silêncio, ir pra onde ninguém me conhecesse, me redescobrir. Muitos podem me julgar, insinuando que eu quero apenas chamar atenção ou algo do gênero, mas desde sempre sinto essa necessidade de ter meu próprio espaço, mas isso não significa necessariamente que eu seja uma pessoa solitária, ou que goste de solidão. Muito pelo contrário, antes de ficar rodeada de gente, valorizo minha própria companhia.

Peguei minha mochila, todo o dinheiro que tinha e saí. Fui até a rodoviária e comprei passagem pra a próxima viagem, não perguntei o destino, apenas entrei no ônibus e esperei chegar em algum lugar. Durante o trajeto, repassei mentalmente toda minha vida, todos os erros que cometi, todos os momentos bons que vivi e todas as pessoas que conheci. Não senti saudade, mas um sentimento de missão cumprida, nunca dormi com arrependimento de não ter feito algo, mas sempre me lamentei por falar pouco o que sentia.

Não sei qual meu destino final, talvez, no meio do caminho, eu resolva pegar o trajeto de volta para a minha vida convencional. Hoje sou um enigma, procurando por uma desfecho para a minha história. 

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe