Ainda somos nós.

sábado, julho 19, 2014

Demorei demais para voltar, eu sei disso. Me desculpe, não esperava que fosse sentir tua falta tanto assim, mas durante todo esse tempo fui ficando cada vez mais fraca, triste e vazia.

Sei que parece drama, mas não é. Acredite em mim.

Não ligo se você der as costas pra mim, mereço um certo desprezo. Até valoriza a minha chegada, não acha?

Deixei de viajar sem rumo, percebi que não valia a pena jogar tudo que vivemos no lixo e viver sem roteiro, sem você pra me guiar. Me deixa ser piegas, o que tem demais um sentimentalismo de vez em quando? Você sempre me dizia que eu era fria, não dava a mínima importância de declarar meu amor, enquanto você fazia de tudo pra me agradar. Sim, vamos deixar nossa antiga história no passado, que é onde ela pertence. Mas o que eu preciso saber é se você sentiu minha falta. Para de cena, sei que não é durão. Lembro que chorava por qualquer coisa... Era até engraçado.

Sim, lembro de todos os seus detalhes, o tempo que passei longe só me fez guarda-los ainda mais na memória. Ainda lembro que você nunca sai de casa sem antes ver se fechou todas as janelas, aos domingos vai ao parque andar de bicicleta, morre de medo de abelha e não gosta que mexam no seu cabelo depois que sai do banho.

É. Ainda sou a pessoa que te conhece melhor. Talvez até melhor que você mesmo. 
Me abraça. Me segura e não me solta. Não me deixa ir embora, nunca mais. 

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe