Reaprendi

quarta-feira, junho 25, 2014

Durante muito tempo achava que precisava expor 100% dos meus sentimentos, gritar para todos os lados o que estava sentindo e porquê. Pensava que as pessoas se sentiriam culpadas e fossem vir me acalentar, fazer cafuné e dizer que amanhã tudo ia passar, seria um novo dia e todos aqueles conselhos clichês falados pelo menos uma vez na vida. Achava que as pessoas deveriam ter pena de mim e dos meus erros. 

Mas eu estava errada.
Quem era próximo se afastava. Quem não me conhecia, fazia questão de não conhecer. Me tornei uma pessoa isolada dentro de mim mesma, achando que todos deveriam vir até mim para saber o que estava acontecendo. Até que cheguei ao ponto de ver que eu realmente estava sozinha, que não adiantava eu querer ajuda dos outros sem antes pensar em mim. Aprendi que não vale a pena mostrar TUDO o que sinto e o que penso, porque a maioria disso só importa pra mim e mais ninguém. Fui criando uma maneira de lidar com meus conflitos internos, sem envolver terceiros, me redescobri quando aprendi o valor de ter um tempo sozinha pra pensar na vida, ouvir uma música ou ler um livro de ficção pra alimentar a imaginação. 
Hoje queria poder falar isso para o meu 'eu' de alguns anos atrás, dizer que nada é o fim do mundo, desde que eu tenha a mim para me suportar.

Você também pode gostar de:

0 comentários

Subscribe